PARQUE DO MIRIM TEM ÁREA PRESERVADA DE MATA CAMBARÁ

  • Redatores: Rose Para – DCI/Saae
  • Release N.º:1520 – 29/08/2022
  • Foto: DCI/Saae
admin | SAAE | Indaiatuba -SP

Uma área de Preservação da Mata Cambará também faz parte do cenário do Parque do Mirim, espaço inaugurado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae), em 2018, com a missão de ser uma área de preservação ambiental com fins educacionais. A Cambará não possui cerne — parte mais interna e mais dura dos troncos de uma árvore –, por isso é poupada da extração. Contudo, especialistas da apicultura, apontam que de suas flores as abelhas recolhem néctar para a produção de mel, considerado mais saboroso e consistente.

A mata preservada de Cambará está localizada entre o Museu e o Mirante do Parque do Mirim e também está presente ao redor da represa do rio Capivari-Mirim, o que gerou o aumento do cinturão verde da Barragem. Nativa do Brasil é uma espécie considerada rara nessa região, sendo mais comum em outros estados. A área foi concedida ao Saae para que fossem preservados os fragmentos de cambará, considerado um dos maiores agrupamentos da espécie na região.

A cambará, espécie conhecida também como candeia, cambará-de-folha-grande, cambará-do-mato e cambará-guacú, é uma árvore pequena e robusta e que, até em função disso, tem sua madeira muito utilizada para fabricação de móveis e no campo para a confecção de moirões de cerca.

Uma curiosidade é que a espécie Cambará é tido como uma pioneira que é, propicia o surgimento de outras espécies arbóreas no seu entorno.

Além dessas características, suas folhas são medicinais, utilizadas em xarope contra a tosse, e é excelente melífera.

Quanto à sua aplicação no paisagismo, é indicada pela cor incomum de sua folhagem, prateada, e a forma retorcida de seus ramos.



Abra chat
1
Precisa de ajuda?
Somente emitimos 2a. via que não consta no site, antes verifique no menu SERVIÇOS ON-LINE, 2a. via. Obrigado