CALOR ATÍPICO AUMENTA EM 30% O CONSUMO DE ÁGUA E CAUSA DESEQUILIBRIO NO SISTEMA

CALOR ATÍPICO AUMENTA EM 30% O CONSUMO DE ÁGUA E CAUSA DESEQUILIBRIO NO SISTEMA

REDATOR: Departamento de Comunicação Social – DCS/SAAE

DATA:  16/11/2023

N.: 0076/2023

Com o aumento expressivo das temperaturas nos últimos dias, Indaiatuba se depara com um desafio significativo em seu sistema de abastecimento de água potável, o aumento do consumo de água potável, devido ao excesso de calor.   O Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) alerta para a possibilidade da falta de água em alguns bairros devido ao aumento do consumo em mais de 30%, resultado do calor atípico experimentado recentemente e das frequentes quedas de energia.

O Saae garante que seu Sistema de Abastecimento seja eficiente, com capacidade adequada para tratar e distribuir água para toda a população. Contudo, a questão central reside no limite de água bruta que pode ser captada dos cursos hídricos, como córregos, rios e ribeirões, determinado pelo Departamento de Água e Energia Elétrica (DAAE). Mesmo operando dentro desses limites, o sistema não consegue manter o nível ideal nos reservatórios de água tratados, essencial para garantir a pressão adequada na rede. Isso levou a uma baixa pressão e, em alguns casos, à interrupção do abastecimento em determinados bairros durante os períodos de maior demanda.

LEI DAS CAIXAS D´ÁGUA

Segundo informações do Saae, a situação é agravada pela falta de consciência de alguns moradores em relação à obrigatoriedade do uso de caixas d’água nas edificações. Conforme estipulado na Lei Federal do Saneamento Básico 11.445, na Lei Municipal 4.608 de 11/11/2004 e na Resolução 200/2007 da Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (ARES-PCJ), nos artigos 15, III, Capítulo IV, Dos Direitos e das Obrigações do Usuário, artigo 32, artigo 84, capítulo XIII e artigo 85 – Dos Reservatórios, a instalação de caixas d’água é obrigatória.

Em conformidade com as legislações mencionadas, os reservatórios devem ter capacidade para armazenar volume suficiente de água potável, garantindo o consumo mínimo equivalente a 24 horas. Detalhes sobre essas obrigações podem ser consultados no site da ARES-PCJ: https://www.arespcj.com.br/conteudo/resolucoes-ares-pcj .

Além disso, as leis recomendam a adesão à norma 5626 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para a instalação adequada dos reservatórios. Essa medida, se seguidamente correta, contribuirá significativamente para a eficiência do sistema de abastecimento, especialmente em períodos desafiadores como o atual.

Diante desse cenário, é de extrema importância que a população esteja ciente das obrigações legais e adote as medidas possíveis para garantir a preservação do recurso hídrico e o funcionamento adequado do sistema de abastecimento, colaborando assim para a superação dos desafios fiscais pelo aumento atípico das temperaturas.